Bancas de Concursos: tudo que você precisa saber

Fala, Concurseiro! As bancas de concursos quase sempre causam pesadelos, não é mesmo? Mas um concurseiro raiz é aquele que consegue conhecer os estilos de questões cobradas por cada organização que elabora as provas dos concursos desejados. E você, sabe quais são as principais?

Saber o que te espera na hora de fazer uma prova é crucial para otimizar os estudos e obter o melhor aproveitamento da prova. Por isso, é necessário saber qual é o rigor e o que uma determinada banca organizadora de concurso costuma cobrar. Acredite, isso vai melhorar muito o seu desempenho na hora de estudar. Além de ser parte essencial para saber sobre um concurso público.

A Casa do Concurseiro preparou um guia completo com as principais bancas de concurso brasileiras! Aqui, você vai ver quais são elas, o que costumam cobrar, como descobrir a banca organizadora, quais as mais fáceis, as mais temidas e muito mais.

Se interessou? Então, confira na sequência:

O que são as bancas de concursos?

As bancas organizadoras de concurso são instituições responsáveis por elaborar, divulgar e estruturar as etapas de um concurso público. Geralmente, elas são compostas por professores permanentes, ou podem contratar alguns profissionais específicos para um certame.

Contudo, chamá-las de “bancas” não é a nomenclatura correta. O certo é falar que elas são instituições organizadoras. A banca, propriamente dita, é o grupo de professores contratados pela instituição para elaborarem uma prova. Mas, virou parte do vocabulário concurseiro falar que a banca foi definida, não é mesmo?

O candidato que conhece bem o estilo de uma banca, nível de dificuldade e afins, estará mais preparado para a prova. Assim, ele já sabe o que esperar e consegue se livrar de pegadinhas e surpresas. Ou seja, é possível entender quais são os objetivos das questões, os tipos, a forma de organização do edital, pontuação, recursos e muito mais.

Como saber qual é a banca do concurso?

Não é possível saber com 100% de certeza qual será a banca do próximo concurso. Mas existem duas coisas que podem ser levadas em consideração na hora de estudar, que podem ajudar na hora de estudar pensando em uma banca específica.

A primeira delas é saber qual foi a banca organizadora do último certame. Afinal, eles já trabalharam com a instituição e tudo deu certo, as ideias estão alinhas e a parte burocrática já foi feita uma vez. Ou seja? É mais fácil e prático que a mesma banca elabore as questões da próxima prova.

O segundo ponto é ver quais as bancas que organizam concursos para o cargo pretendido. Em geral, uma mesma banca costuma ser tradicional na elaboração de um concurso. Por exemplo, se você quer prestar o concurso para assistente administrativo, veja quem costuma elaborar a prova.

Qual a banca de concurso mais fácil?

A Cesgranrio é famosa por ser mais fácil de se adaptar. Geralmente, as provas organizadas por essa instituição distribuem igualmente o conteúdo do edital. Além disso, é muito raro que eles cobrem algum conteúdo que não está previsto nos documentos. Outro ponto que faz a Cesgranrio levar esse título, é que suas provas estão amplamente disponíveis em bancos de questões.

Qual a banca de concurso mais difícil?

A CEBRASPE, antigamente era a CESPE, é a banca de concurso mais difícil. Suas questões tem alta complexidade e contam com interdisciplinaridade. Outra banca que é temida por quem presta concurso é a FGV – que já cobrou até nota de rodapé!– e a FCC, que cobra questões muito extensas.

Além disso, cada pessoa pode ter dificuldades em um ponto específico. Por esse motivo, é importante conhecer bem as características de cada banca. Conhecer quais são as instituições que, geralmente, organizam os concursos para uma determinada área também pode te ajudar.

Já que você está se preparando para passar em um concurso, que tal começar a sonhar com o que virá depois? Então, veja nosso post sobre o que fazer depois de passar no concurso.

Quais as principais bancas de concurso?

As mais famosas são FGV, Cespe/Cebraspe, FCC, Vunesp e outras. Existem várias instituições que são confiáveis e têm tradição na organização dos concursos públicos. Cada uma delas com suas complexidades, níveis de aprofundamento e por aí vai. Mas fique ligado, isso não significa que uma banca é melhor que a outra, mas sim o que corresponde ao perfil de cada uma.

Agora você vai ver uma lista com as 13 principais bancas organizadoras de concurso. Confira, a seguir, onde são comumente usadas e as características de cada uma delas!

1. FGV – Fundação Getúlio Vargas

É a banca responsável por organizar e aplicar os exames da OAB, a Ordem dos Advogados do Brasil. Além disso, essa banca é conhecida por, tradicionalmente, organizar as provas para cargos em tribunais em todo o território nacional, além de outros concursos que envolvam profissionais da área do Direito.

2. FCC – Fundação Carlos Chagas

No passado, a FCC era conhecida por ter um perfil muito fácil, com questões que dependiam de decoreba. Mas o cenário mudou e as perguntas requerem mais interpretação e longos enunciados. Em relação as respostas, são diretas e práticas.

Preste atenção a três pontos nas questões dessa banca: elas requerem o conhecimento literal de lei e jurisprudência, podem pedir para marcar a alternativa incorreta e, por ter mudado de perfil nos últimos anos, usar questões muito antigas pode te prejudicar.

3. Cespe – Atualmente Cebraspe

A Cespe/Cebraspe é uma das bancas mais difíceis de concurso, isso se não for a mais temida. O perfil dessa banca são questões de marcar certo ou errado – e não múltipla escolha. Isso requer muita atenção dos concurseiros e evita o famigerado chute. Outro ponto de atenção a essa banca é o de que uma questão errada anula uma questão certa.

Toda prova do Cespe contém questões muito elaboradas e valoriza o candidato que realmente sabe o conteúdo da prova. Além disso, seus exercícios são muito diferentes das demais bancas organizadoras. Então, pratique muito.

4. Cesgranrio

O Cesgranrio é considerada fácil por muitos concurseiros. Principalmente porque há muitas questões disponíveis em sites e simulados. Por esse motivo, é mais simples de conhecer o perfil dessa banca por meio das próprias provas anteriores.

Essa instituição é muito tradicional no Brasil. Por exemplo, muitos concursos para técnico bancário já foram organizados pelo Cesgranrio.

5. Esaf

Mesmo extinta em 2018, a Esaf ainda é muito famosa. Principalmente porque essa banca era uma das mais complicadas e temidas por vários concurseiros. Suas questões consistiam em estudo de casos do Direito e, até mesmo, cobravam os artigos contidos em uma lei!

Durante muito tempo, essa instituição fez concursos federais de grande concorrência. Por exemplo, os certames da Receita Federal.

Por ser uma prova difícil, é possível usar suas questões para melhorar a interpretação. Afinal, o nível da prova é muito alto. Contudo, não gaste tempo analisando o perfil do exame, já que a banca não existe mais.

6. Instituto AOCP

O Instituto AOCP é famoso por ser banca de concursos de prefeituras e universidades. Tradicionalmente, essa instituição organiza os concursos da Escola Brasileira de Serviços Hospitalares, a EBSERH. Em geral, as provas dessa banca não são difíceis.

Os conteúdos cobrados costumam ser relacionados à memorização e os enunciados são simples e fáceis de serem entendidos. O AOCP pode organizar os concursos para assistente social, em nível municipal, por exemplo.

7. Vunesp

Além da organização de vestibulares, essa banca costuma organizar concursos para a Polícia militar e Civil, Ministério Público e Detran. Apesar de não ser considerada uma prova de alto nível, suas questões podem confundir quem está desatento.

Uma das características das questões é solicitar para que o candidato marque a alternativa incorreta. Isso pode confundir e fazer com que algumas pessoas errem a pergunta. Outro ponto de atenção é que essa fundação costuma cobrar todo o conteúdo do edital, então, não deixe nada passar!

Por falar na carreira militar, você já parou para pensar como ser um soldado do exército?

8. Quadrix

A Quadrix é reconhecida por ser a banca organizadora das provas de conselhos de categoria. Por exemplo, o Conselho Regional de Medicina – CRM. Porém, esse instituto já organizou as provas do SESI, SENAI e, até mesmo, DATAPREV.

Quem tem dificuldade com enunciados longos vai sofrer com essa banca. Historicamente, suas questões são extensas e exigem muita memorização do conteúdo. O perfil dessa prova se assemelha ao que éadotado pela Cesgranrio, mas as questões são um pouco mais fáceis.

9. Consulplan

É outro instituto que se encarrega dos concursos de prefeitura. Porém, já organizou certames do TSE, TJ, TRF do Rio de Janeiro e Minas Gerais e outros da mesma área. Essa é uma banca organizadora fácil, mas as provas costumam ser cansativas.

Além disso, os enunciados são longos e exigem do candidato a memorização do conteúdo. Outro ponto de atenção é que nessas provas há muitas pegadinhas. Então, concurseiro, você precisa ter atenção redobrada na hora de responder.

10. Funrio

Essa é uma banca com nível médio e alto. Porém, quem quer seguir a carreira militar, precisa conhecer bem a Funrio. Afinal, ela é conhecida por elaborar as provas de vários concursos para a PM e Corpo de Bombeiros. Mas já atuou como banca do INPA, INSS e FUNAI.

As questões elaboradas pela Funrio são difíceis e cobram o conteúdo todo. Além disso, os enunciados são extensos e de múltipla escolha. Isso faz com que o exame necessite de um alto grau de concentração do candidato.

11. IADES

O nível de dificuldade das provas do IADES é comparado à dificuldade da Cespe/Cebraspe e FGV. Por isso, esse instituto é responsável por elaborar concursos de nível federal. Por exemplo, as provas da PM e da PC do Distrito Federal e da Eletrobrás.

Os enunciados são extensos, com questões bem direcionadas ao cargo pretendido. Porém, em vários casos, o concurseiro precisa responder à questões abertas e, até mesmo, elaborar redações. Então, para prestar uma prova elaborada por esse instituto, é preciso estar de olho nas atualidades para concurso público.

12. Cetro

Já foi banca da Anvisa, AEB e do IPHAN. Porém, atualmente, é usada em concursos menores e em níveis municipais e estaduais. Por exemplo, para prefeituras e tribunais dentro do próprio estado. Essa banca não tem um nível muito alto.

Porém, há uma característica que deve ser levada em conta e merece atenção: as provas elaboradas pelo Cetro não costumam ter questões repetidas. Além disso, os conteúdos programáticos costumam mudar entre editais.

13. IBFC – Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação

É uma banca muito usada em concursos de tribunais. O IBFC já organizou provas do TJ-PA, TJ-PE e, até mesmo, TRE-AM. Essa é uma daquelas bancas organizadoras que cobram todo o conteúdo programático presente no edital.

As provas tem um nível de dificuldade moderado. Geralmente, as questões variam entre médias e difíceis. Porém, elas são muito objetivas e sempre muito claras. Ou seja, o IBFC não costuma fazer pegadinhas.

E aí, concurseiro, está se sentido mais preparado? Conhecer as bancas organizadoras também é uma forma de estudar. Afinal, saber o que te espera na hora da prova é importante para manter a calma e já saber o que estudar. Além disso, os institutos que elaboram as provas costumam ter características bem distintas. Com é o caso dos exames da FGV, por exemplo.

Quem está na busca de um cargo público precisa de foco e dedicação. Nós sabemos que você é assim e isso te faz um concurseiro de respeito. Mas sempre é bom melhorar, não é mesmo? Os editais estão cada vez mais exigentes e concorridos. Então, aproveite o pique e veja nosso post sobre as 8 técnicas de memorização para concursos públicos!

Bons estudos e até a próxima!

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários