Concursos públicos como um estilo de vida

Estudar para concursos públicos, cada vez mais, é um lifestyle (estilo de vida), que direciona carreiras e sonhos. Em tempos de concursos cada vez mais competitivos, o concurseiro free rider (caroneiro) tem cada vez menos espaço e chance de aprovação em concursos mais concorridos e com melhores salários. A máxima no mundo dos concursos é outra: “me diga o quanto dedica tua vida aos estudos, e te direi se aprovarás e o quanto podes vir a ganhar”. Claro que, obviamente, essa equação não é linear. O background (conhecimentos prévios) e o método de cada indivíduo contam muito para encurtar ou alongar a trajetória até a aprovação.

O fato é que fórmulas prontas não existem. O caminho é mesmo um tanto quanto doloroso e requer investimento de tempo, esforço pessoal e muitas vezes familiar, método e orientação nos estudos, foco nos objetivos, e consciência do caminho que se está percorrendo. Não é o acúmulo de materiais e nem o volume de horas estudadas que garantirá a aprovação. Pois, como já se sabe, essa garantia não existe. Invariavelmente, os resultados vêm da boa equalização da relação tempo x método, que é um arranjo bem pessoal e particular.

Ainda existe outra mística, que paira sobre os concurseiros, a qual envolve a inteligência e as capacidades individuais como facilitadoras, ou não, da aprovação. Muitos se sentem supercapazes e outros superincapazes. A capacidade individual está relacionada apenas ao fator tempo e, necessariamente, pode não atender ao fator método.

Os supercapazes são pessoas que podem possuir grande bagagem de conhecimento (background cultural, formação escolar de qualidade, background familiar), o que ajuda a abreviar o tempo de aprovação, mas, sem o método e seus componentes (foco, orientação e consciência dos estudos), podem rapidamente se frustrar e não atingir qualquer aprovação ou limitar seus ganhos. Já aqueles que se sentem superincapazes muitas vezes precisam programar sua aprovação como um esforço continuado no tempo e apostar alto no método, ou seja, no foco e na orientação de estudos, gerando maior consciência do caminho que se está a percorrer até a aprovação. Assim, o que pode parecer uma desvantagem inicial pode se tornar uma grande vantagem e até mesmo o impulso que conduzirá ao sucesso.

Assim, estudar para concurso visando à aprovação em sequência tem se tornado mais um lifestyle (estilo de vida) e uma orientação de carreira do que um pedal point (ponte de passagem) para outros objetivos pessoais. As estratégias e os objetivos são tão múltiplos quanto os sonhos individuais. Cada um constrói e construirá uma diferente trajetória de aprovação. O ponto comum é que esse lifestyle não pode prescindir de uma boa equalização da relação tempo x método.

artigo-casa-do-concurseiro

2 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários

Minha carga horária é inclusive maior que a do mercado privado tradicional, regrada a muita disciplina.

A mentalidade de uma pessoa que visa a algum cargo público, e está em fase de preparação para uma prova, não pode ser a de mero estudante para responder a questões teóricas. O pensamento deve ser de que está em uma preparação profissional, sendo, inclusive, essa fase, um estágio profissional teórico para poder ser exercido de forma prática em um prazo futuro.