Consumo responsável

Você já pensou em quantas coisas desnecessárias você e eu compramos neste ano? Em quanto plástico utilizamos? Em quantas embalagens que vêm dentro de outras embalagens descartamos? Pouca gente repara neste “detalhe”, que, na verdade, é superimportante: o impacto ambiental do consumo. Hoje gostaria de provocar essa discussão, sobre como podemos reciclar, reutilizar e reduzir, adotando um comportamento menos nocivo ao meio ambiente.

Segundo o relatório Living Planet 2014, da WWF, nossas demandas sobre a natureza são insustentáveis, pois consumimos 50% mais recursos naturais do que o planeta renova. Cortamos as árvores mais rápido do que elas crescem, pescamos mais do que o oceano produz peixes e emitimos mais carbono na atmosfera do que as florestas e os oceanos conseguem absorver. Se a demanda continuar aumentando como nos últimos 20 anos, em 2050 precisaremos de três planetas para suprir esse consumo.

Esse tema deveria preocupar a todos, afinal precisaremos de água potável, ar puro, sombras de árvores e um clima equilibrado para sobreviver e poder produzir alimentos. Mas a verdade é que não recebemos educação nem estímulo para consumir de uma maneira socialmente responsável. O mercado, de maneira geral, ainda não se ajustou a isso, e estimula, isso sim, a compra por impulso, a plastificação das embalagens e a conveniência acima de tudo. Conveniência imediatista, claro.

Todos achamos bom poder comprar um produto vindo de longe no supermercado, sem pensarmos em quanto combustível foi utilizado para que chegasse ali. Achamos bom comprar uma fruta o ano todo, mesmo quando não é “da época”, sem perceber que isso demanda o uso de defensivos químicos que nos poluem tanto quanto aos rios. Adoramos uma telentrega em que tudo vem bem embaladinho e separadinho com filme plástico, sem lembrar que aquilo veio de algum lugar e irá para algum lugar. Tudo isso tem um preço, e o consumo em escala multiplica por bilhões os danos que você, sem nem saber, está causando.

Se você nunca tinha parado para pensar nisso, minha sugestão é que você passe a pensar no seu consumo como um processo. Tenho feito esse exercício. Tente saber (ou imaginar) o “antes” e o “depois” do que você comprou hoje. Tente reduzir seu consumo ao necessário, repassar suas coisas adiante, e tente usar coisas que outras pessoas também te repassarão. Tente utilizar várias vezes as sacolas, as embalagens e as garrafas antes de colocá-las fora. Separe sempre seu lixo “seco” do orgânico para facilitar o processo de reciclagem e ensine seus pais a fazerem isso, pois na época deles não se sabia como isso era importante. Leve sua própria sacola ao supermercado e dê preferência a produtos/produtores locais. Prefira orgânicos. Reduza a carne na sua alimentação, ela também tem um impacto ambiental enorme. Dê carona ao vizinho ou vá de transporte público. Não deixe a água correndo. Busque a satisfação por meio do uso dos produtos a não pelo ato da compra, pois assim poderemos comprar menos e usar mais.

E o mais importante: troque ideias com as pessoas ao seu redor para que possamos aprender juntos a consumir de maneira mais responsável.

artigo casa do concurseiro

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários