Lendas Urbanas dos Concurseiros

No início de 2015, o mundo dos Concurseiros foi assolado pela lenda da suspensão dos concursos em todo o país. Debates foram travados, colunas foram redigidas, programas de TV foram apresentados. E o que se verificou na prática? Um ano com calendário cheio de oportunidades para quem visa à estabilidade, à excelente remuneração e ao tão sonhado cargo público. Foi um dos anos mais movimentados na vida dos Concurseiros.

Se você pudesse voltar no tempo, ao estilo Marty McFly, e revivesse seu ano de 2015, como seria ele? Você seria uma vítima desmotivada das lendas urbanas? Ou seria um Concurseiro focado, com metas, objetivos e preparação como grandes chaves para a abertura de um grande futuro? Eu espero que você seja deste último tipo de Concurseiro, pois, se for como o primeiro, provavelmente viu o 2015 abrindo as portas para ou outros e as fechando para você.

Esta escolha de atitude está em suas mãos. Não temos um Delorean Voador para retornar ao início de 2015, mas temos o poder de definir nosso 2016 e como será nossa preparação. Essa escolha deve ser séria e deixar de lado as lendas urbanas que, quando você menos espera, chegam com as notícias de que, em ano de eleições, não teremos concursos públicos, de que não vale a pena estudar e de que concursos públicos e a felicidade são para os outros.

Quando uma pessoa divulga a notícia de que no ano das eleições não temos concurso, esta pessoa automaticamente se desqualifica de qualquer certame, pois qualquer Concurseiro com uma preparação mediana, conhece o teor do artigo 73 da Lei nº 9.504/97 (Lei das Eleições) e sabe que, em anos de eleições, temos tantas oportunidades quanto quaisquer outros anos, e a ciência desta oportunidade, sem dúvida, torna-se parte da preparação. Lembre-se, o plantio é facultativo, a colheita é obrigatória. Então, foco em 2016 e deixe as lendas urbanas para quem ainda vai transformar a própria nomeação em uma verdadeira lenda.

artigo casa do concurseiro

Este artigo foi escrito pelo nosso querido professor Pedro Kuhn e publicado originalmente no site Concurso Público em fevereiro de 2016. Confira outros artigos do Pedro Kuhn!

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários