Saiba o que faz o técnico judiciário e o que é preciso para ser um

Técnico judiciário é a profissão de carreira pública com foco, principalmente, no Tribunal de Justiça. Para se tornar um não são necessárias muitas coisas, o que atrai ainda mais os olhares de diversos candidatos do país afora. Com a alta busca pela carreira, mais e mais dúvidas surgiram sobre as funções do profissional e quais os requisitos essenciais para se tornar um.

Trata-se de uma das carreiras de maior destaque no ramo técnico e profissional de destaque público. Se você está pensando em investir na carreira, continue lendo e entenda um pouco mais sobre o trabalho de um técnico judiciário. Nesta publicação, explicamos as funções do profissional, o que é preciso para ser um e falamos sobre o concurso. Fique por dentro!

Ah! Aproveite e confira também nossa publicação sobre quais são os cargos e salários da Receita Federal.

Afinal, o que faz um técnico judiciário?

Um técnico judiciário possui como funções principais:

  • a participação de diversas comissões;
  • atuação em treinamentos com foco administrativo;
  • operação em audiências;
  • elaboração e digitalização de pautas de publicação;
  • execução de trabalhos de expediente;
  • desenvolvimento de certidões;
  • indexação de documentos;
  • atendimento ao público.

Essas são apenas algumas das principais funções do técnico judiciário. Em geral, suas atividades são todas aquelas que necessitam de trabalho de cunho oficial sobre as etapas administrativas e judiciais. Sobre a profissão, também podemos mencionar o cargo de escrevente técnico judiciário, com funções atribuídas pelo art. 141 junto ao Código de Processo Civil.

No caso do escrevente técnico judiciário, as atividades principais estão relacionadas a redigir legalmente documentos, ofícios, mandados, cartas e por aí vai. O cargo de analista judiciário também é outra profissão de destaque na área, mas com atribuições um pouco diferentes. O analista judiciário trabalhará em função de apoio em Tribunais Federais e Estaduais.

Por outro lado, as exigências para ser um profissional analista judiciário são um pouco maiores. É necessário ter alguns requisitos a mais, como a formação de bacharel em direito para os cargos da área judiciária e formação em administração para casos da área administrativa.

No caso do técnico judiciário, os requisitos são mais simplificados. Falamos mais sobre o assunto nos tópicos abaixo!

Para além do Tribunal da Justiça, o profissional pode estar relacionado ao Tribunal Regional do Trabalho e Tribunal Regional Eleitoral.

Qual a faixa salarial de um técnico judiciário?

O salário de um técnico judiciário possui valor inicial em R$ 5 mil e média de R$ 6.130 ao mês, conforme consta na plataforma Vagas. Além disso, o profissional conta com auxílio-alimentação e locomoção de R$ 1.400 e R$ 440, respectivamente. O site ainda divulgou que, dos profissionais, 7% deles exerceram o cargo de auxiliar administrativo e 9% se tornaram advogados.

O que é preciso para ser um técnico judiciário?

Para ser técnico judiciário, é necessário ter ensino médio completo. Algumas instituições também solicitam formação prévia em áreas como administração e tecnologia da informação. Além disso, para exercer o cargo, o profissional precisa passar no concurso público referente a sua região e à vaga desejada. Falamos um pouco sobre o concurso para técnico judiciário no tópico a seguir, confira!

Como funciona o concurso para técnico judiciário?

O concurso para técnico judiciário funciona por meio de questões de conhecimentos gerais e específicos. O exame varia de região para região onde o concurso é aplicado e a especificidade do cargo pretendido. Para exemplificar, trouxemos a grade de questões do último concurso TJ – Tribunal de Justiça – do Rio de Janeiro, lembrando que todos os exames seguem quase o mesmo padrão.

De maneira geral, os exames são divididos entre questões objetivas discursivas. No caso dos analistas judiciários, também são solicitadas as avaliações de títulos. Nas questões objetivas para o concurso, o candidato deve responder 60 questões, sendo 20 sobre conhecimentos gerais e 40 sobre conhecimentos específicos.

Os conhecimentos gerais são divididos entre as disciplinas de Legislação Especial, Ética no Serviço Público, Noções dos Direitos das Pessoas com Deficiência e Língua Portuguesa. Já nas questões de Conhecimentos Específicos, são requeridos:

  • Legislação;
  • Noções de Direito Processual Civil;
  • Noções de Direito Administrativo;
  • Noções de Direito Processual Penal;
  • Noções de Direito Constitucional.

Confira nossa publicação sobre o Concurso TJ-RJ com banca definida e fique por dentro do assunto.

Em algumas regiões, o concurso de técnico judiciário entra para a lista de mais concorridos e, para se destacar, os candidatos precisam estar atentos aos editais e disciplinas solicitadas e se preparar da melhor maneira possível. Apesar de concorrido, a aprovação no concurso é mais que possível.

Quer uma ajudinha? A Casa do Concurseiro possui cursos para diversas e diferentes áreas públicas. Inclusive, temos um curso inteiramente destinado ao concurso do Tribunal de Justiça do Amapá – Técnico Judiciário. Não deixe de conferir!

Agora que você sabe um pouco mais sobre a profissão, você pode considerar prestar o concurso. Lembre-se: estudar e se dedicar é o segredo para conseguir sempre bons resultados! Confira mais dicas e informações sobre o universo dos concurseiros no nosso blog.

Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *