Transformando o limão em limonada

É hora de aprender a fazer do limão uma limonada. Professor Daniel Sena fala sobre a importância da resiliência. 

Já vivi boas experiências nesta vida. Não tanto como minha bisavó, que já beira seus 102 anos, mas vivi o suficiente para aprender algumas coisas. Um pouco da minha experiência eu sempre compartilho com meus filhos, três seres humanos fantásticos que transformaram minha vida. Eles têm sido a mais fiel plateia quando se trata de compartilhar as minhas experiências de vida. E se tem uma coisa que sempre ensinei para eles foi a enfrentar os próprios desafios sem medo. Sempre tive comigo que minha missão principal na vida deles seria prepará-los para o mundo, e tenho me esforçado para isso.

Às vezes, o mundo não tem sido amigável com eles. Prepará-los para a vida, então, tem importado em uma preparação de guerra. Sempre ensino técnicas e compartilho minhas experiências para que a caminhada deles seja melhor e mais eficiente que a minha.  

De todos os aprendizados que adquiri ao longo da minha caminhada, o que mais admiro em mim mesmo é a minha capacidade de resiliência. Resiliência é a capacidade que uma pessoa tem de dar a volta por cima depois de uma grande dificuldade. Aprendi isso com meu pai e considero um bom aprendizado para os meus filhos. Ora, se compartilho isso com meus filhos é porque é algo muito bom. Então gostaria de compartilhar com vocês também. Temos o hábito de olhar para o problema e ficar nos lamentando pelo que aconteceu. Levamos uma rasteira e ficamos no chão, perguntando de onde veio aquilo.

Ao longo da minha vida, aprendi a não perder tempo lamentando pela minha derrota. Quando caio ou quando me machuco, imediatamente me pergunto o que eu poderei fazer de diferente para que aquilo não aconteça novamente. Se não posso fazer nada, se a situação não depende de mim, então eu aceito e sigo em frente, mas se a situação depende de mim e, na maioria das vezes depende,  ao invés de me lamentar pelo que aconteceu, uso a experiência para aprender com ela e seguir em frente. A cada queda que levo, a cada porrada que a vida me dá, uma nova forma de enxergá-la surge. E é aqui que crescemos. Ninguém cresce levando uma vida tranquila. Na maioria das vezes, quem leva uma vida tranquila se torna mimado e diante de qualquer dificuldade se desespera.

Quem aprende com as porradas se torna calejado, se torna mais resistente, alarga seus limites. Isso é muito comum nas artes marciais. Geralmente quem luta alguma arte marcial treina calejando as partes mais sensíveis do corpo. Me lembro de quando fazia Kung-fu e tinha que chutar uma barra de ferro com minha canela. Pense em uma parada que doía pra caramba, mas que depois compensava, pois, na luta, quando um oponente me chutava, eu não sentia nada. Quanto mais porrada você leva, mais calejado fica. Então comece a olhar as porradas da sua vida como uma oportunidade de crescimento ímpar. Essa é a maravilhosa arte de transformar o limão em limonada. Quem perde tempo lamentando o azedo do limão, não enxerga a possibilidade de transformá-lo em uma deliciosa limonada.

Então, meus queridos, não percam muito tempo se lamentando pelas dificuldades que já viveram. Todos enfrentamos dificuldades das mais diversas possíveis em nossa caminhada Cada um vive seu próprio desafio. Não tem nem como dizer se a minha dificuldade é pior ou melhor que a do outro. O que é difícil para mim, é para mim, assim como os desafios dos outros são para os outros.

A única coisa que posso dizer, e que se aplica para mim e para você, é que vale a pena dar a volta por cima. Aceitar que em nossa vida as dificuldades surgirão é o primeiro passo para aprendermos a vencê-las. Os desafios diários são inerentes a nossa existência humana. Não tem como fugir. É preciso cultivar nossa capacidade resiliente de dar a volta por cima e seguir em frente. Se você não sabe ainda, chegou a hora de aprender a fazer do limão uma limonada.

artigo-casa-do-concurseiro

0 Comentários
Comentários em linha
Ver todos os comentários